Reunião do APL com Agência Curitiba e Vereadores alinha questões do setor

IMG_0031

Na tarde do dia 22/06, no SEBRAE, aconteceu uma reunião organizada pelo APL de Software de Curitiba, Região Metropolitana e Litoral e CENETIC, com o objetivo de alinhar diversas questões do setor de tecnologia em Curitiba e região. Nessa reunião estiveram presentes mais de 50 empresários do setor de TIC, os vereadores Felipe Braga Côrtes, Jonny Stica, Bruno Pessuti e Hélio Wirbiski, a Diretora-Presidente da Agência Curitiba, Sraª Gina Paladino e equipe.

13499550_292437701096637_2038972295_oPresidido pelo Srº Marcelo Woiciechovski, Presidente do APL organizador, a reunião começou com as apresentações necessárias e logo em seguida o Sr. Woiciechovski passou a palavra a Sraª Gina, para que ela pudesse elucidar a real situação do governo municipal e justificar sobre diversos problemas e demandas que não foram resolvidos. Ela deu início a sua fala abordando a questão dos incentivos fiscais, explicando que existem mais de 10 incentivos, e que apenas 3 são de controle da Agência Curitiba. Completou essa questão justificando que os incentivos, como por exemplo, o ISS tecnológico de 5%, é resultado de uma avaliação técnica detalhada e leva como base a competitividade dentro do âmbito das cidades e capitais que competem diretamente com Curitiba. Gina também explicou que não falta vontade de parte da Agência Curitiba para aprovar melhorias para o setor, mas ela depende de diversos atores para aprovar medidas, como por exemplo, a Secretaria de Finanças do Município.

Continuando sua fala, Gina Paladino abordou a questão do Parque de Software de Curitiba, que por muitos aparenta estar “abandonado” e estão ocorrendo diversos problemas com as empresas que lá estão locadas. Ela também informou que existem estudos para melhoria e inclusão de pequenas empresas de software no parque e no tecnoparque. Justificou a demora do estudo devido a quantidade de empresas de TIC, que giram em torno de 5.300 em Curitiba, muito maior do que cidades com incentivos fiscais mais atrativos que Curitiba, como por exemplo Recife e Florianópolis.

Em seguida o Srº Woiciechovski abriu para que os empresários fizessem perguntas à Gina e ao Srº Armando, Diretor Técnico da Agência Curitiba. Iniciou-se as13509830_292437694429971_1674846823_o perguntas com o Sr. Jayme, proprietário da Cinq tecnologia. Ele iniciou sua fala abordando sobre o contexto histórico do setor de TIC na Capital e que o que ocorreu no passado o incentivou a empreender. Em seguida ele referiu-se a um grave problema que está ocorrendo com cerca de 10 empresas locadas no Parque de Software, que estão recebendo notificações judiciais que alegam que essas empresas devem pagar impostos atrasados e se retirar do local. Esses impostos são retroativos à 2012, quando houve um acordo com a Prefeitura em relação ao ISS Tecnológico.

Após a fala do Presidente da Cinq, Sr. Valdemar, proprietário da Premier fez uso da palavra. Logo já começou abordando a questão da concorrência, que, por estarem locadas em cidades onde os incentivos fiscais são mais atrativos, acabam por levar vantagens sobre as empresas de Curitiba. Ele também citou o Núcleo de Tecnologia da Informação e Comunicação que deveria ter sido instalado no Parque de Software, como foi combinado com a Prefeitura em 2012, mas não foi realizado. Também citou que empresas da Região Metropolitana estão oferecendo incentivos fiscais mais atrativos e que existe grande possibilidade de diversas empresas migrarem para elas.

13493610_292437654429975_916365646_oEm seguida a palavra foi dada ao Sr. Gilmar, empresário do Parque de Software.Sendo bem conciso em suas palavras, referiu-se a perda de negócios das empresas do parque devido a insustentabilidade jurídica e problemas diversos do local. Em seguida o Sr. Leonardo, representando a ASSESPRO-PR, retratou a questão das promessas de governo feitas ao setor e que elas não foram cumpridas dentro dos 4 anos de governo.

Após a fala dos empresários, 2 advogados do setor fizeram uso da palavra. Primeiramente o Dr. Dutra, advogado da Cinq e da Premier usou uma frase de impacto, mas que retrata a angustia do setor: “Está nas mãos da Agência Curitiba a continuidade do setor de Tecnologia da Informação e Comunicação em Curitiba”. Em seguida o Dr. Juliano, advogado tributarista citou a Lei Complementar 22, sobre o parque de Software, mostrando os benefícios do ISS de 2% da época. Ele explicou que esse ISS não era verdadeiramente de 2%, mas sim de 5%, porém, as empresas que investem em tecnologia e inovação podem usar 3% desse ISS para investimento interno. Mas também abordou a questão de que a lei não especifica diversas coisas, como por exemplo, se é necessário a apresentação de projeto para utilização de software. Finalizou recomendando revisar essas questões para que os “pontos possam ser acertados”.

Finalizando o bloco público, o Sr. Keizo, Presidente do SINDITIC-PR, em uma fala muito emocionada, iniciou falando, e chorando,  sobre a tristeza que ele sente13493224_292437674429973_1860393599_o por perceber que o setor que ele luta a mais de 40 anos, “Enquanto várias empresas e cidades estão crescendo, Curitiba está retrocedendo”, completou Sr. Keizo. após essa fala inicial, contou um pouco sobre a história do setor de TIC na capital e foi enfático quando disse que ” Hoje, mais do que nunca, é o setor de TIC que pode transformar toda Capital”. Finalizou abordando a questão da burocracia para se conseguir algo para o setor e completou falando que a diminuição dessas é a solução para incentivar as empresas em Curitiba.

Após a fala dos empresários e advogados do setor, os Vereadores presentes fizeram uso da palavra. Inicialmente o Vereador Felipe Braga Côrtes abordou a questão de que parece haver um conflito de interesses entre o Parque de Software e o Tecnoparque. Também citou que existem projetos de lei em trâmite na Câmara Municipal de Curitiba para melhorias do setor. Continuou falando que, para que os emblóglios que estão ocorrendo fossem resolvidos, deve-se revisar as questões atreladas ao projeto do Parque e do Tecnoparque. Finalizou com o discurso de que talvez uma ação política pode agilizar o estudo para melhoria do setor.

13509327_292437717763302_1071266956_oEm seguida, o Vereador Bruno Pessuti iniciou sua fala da seguinte maneira: “Vejo com temeridade a notificação judicial dessas empresas”, relacionando com os empresários que abordaram essa questão. Também abordou a questão de grandes empresas que desistem de fechar negócios em Curitiba devido a esses problemas que estão ocorrendo, como é o caso de uma grande empresa que foi para Campinas-SP, mas iria vir para Curitiba e desistiu. Essa empresa traria mais de 600 funcionários. Pessuti referiu-se a isso citando que 600 funcionários são cerca de 500 famílias, e isso acelera a economia, o que é extremamente importante para a cidade.

O Vereador Jonny Stica, em seguida, começou sua fala abordando sobre a angustia visível do setor. Analisando as falas dos empresários, ele também entendeu que, aparentemente, o parque de software está abandonado, o que é horrível, pois poderia ser um local extremamente atrativo. Também abordou sobre o Tecnoparque, que é uma ótima ideia, segundo ele, mas que sem projeto dificilmente irá se consolidar. Ele também falou sobre a insegurança jurídica do setor e que isso não atrai empresas ou novos empreendedores para o setor. Finalizou dizendo que falta um programa claro especificando o que irá acontecer ate o final do ano dentro do setor.

Finalizando a fala dos políticos, o Vereador Helio Wirbiski usou poucas palavras, mas foi extremamente claro no que quis dizer. Para ele, “Não é possível que em13509367_292437684429972_1280126244_o tanto tempo de discussão não exista um cronograma para que a comissão de TIC discuta com a Agência Curitiba para que até o final dessa gestão sejam resolvidos esses problemas. O Vereador se comprometeu a ir atrás de respostas dentro da Comissão de TIC para dar um norte aos empresários.

Finalizando a reunião, o Diretor-Presidente do APL, Sr. Marcelo Woiciechovski, em acordo com a Sra. Gina Paladino e os vereadores, acordaram que ocorrerá uma comissão do APL local, Agência Curitiba e Comissão de TIC para que, em conjunto, em no máximo 2 meses esses casos e problemas citados na reunião estejam devidamente resolvidos e encaminhados.

Todos aqueles que tiverem interesse em participar da comissão, deverão entrar em contato através do e-mail: gestor@cenetic.com.br.

 Texto: Andrey J. Aguiar

Wolke Marketing Estratégico

Fotos: Yasmin C. de Santana

CENETIC